Atividade da Alcateia Lobos do Parque, em preparação para o GEJA FIXE, em 04/Jun

No sábado, 18/Jun, a partir das 14h, a Alcateia Lobos do Parque, a Mearas Escola de Xadrez e o Mestre Wellington Melo, promovem o II GEJA FIXE/2016 – Festival Integrado de Xadrez Escoteiro. Aberto a participação de todo o GEJA, inclusive familiares, o Festival é um momento único de aprendizagem, convívio, respeito e desenvolvimento. A integração com outros jovens, responsáveis e familiares também contribui para a integração e a alegria nesse esporte — o segundo mais praticado do mundo.

As inscrições dos interessados são feitas individualmente (inclusive de pais e familiares) neste sábado (11/Jun), com a Chefia da Alcateia Lobos do Parque. É necessário o preenchimento de uma autorização e o pagamento de taxa de R$ 20,00 por participante, seja jovem em idade escoteira ou jovem da melhor idade. O dinheiro arrecadado vai para a compra de material, distintivos e troféus.

A participação no GEJA FIXE também ajuda aos jovens que quiserem conquistar a Especialidade de Xadrez, com alguns itens podendo ser avaliados no próprio festival.

O jogo de xadrez no processo de ensino-aprendizagem

Silêncio e concentração. Sobre a mesa, papel e caneta, o cronômetro, um tabuleiro, 32 peças nomeadas: rei, rainha, cavalo, bispo, torre e peão.

Frente a frente estão os adversários. Começa o jogo.

As peças se movem rapidamente sobre o tabuleiro de 64 casas brancas e pretas.

Ainda calmos, os jogadores têm em mente as várias possibilidades de lances a serem jogados. O bater do relógio atenua a cada toque o inimigo em comum: o tempo. Enquanto um competidor pensa e arma estratégias, o outro anota os lances em uma planilha e logo idealiza a próxima jogada.

E assim são horas e mais horas de partida.

Tudo só acaba quando um dos participantes decreta o tão famoso “xeque mate” ou ouve o colega sussurrar tristemente a palavra “abandono”. Na pior das hipóteses, se ninguém alcançar a vitória, o consenso pelo “empate” é a saída.

Assim é o xadrez, o segundo esporte mais praticado no mundo, perdendo apenas para o futebol, de acordo com o livro “O que é Xadrez”, de Paulo Sérgio dos Santos. Além disso, o xadrez é considerado um dos esportes mais democráticos que existem porque permite mulheres e crianças competirem com homens adultos — é a única modalidade esportiva em que uma pessoa confronta diretamente vários adversários ao mesmo tempo, em condições de igualdade. “É um jogo inclusivo, que aceita diferenças de faixas etárias, origens, sexo, físico e classe social. E objeto de conquista de especialidade. Jogando, você aprende a interagir com o ambiente e a respeitar o outro”.

Alcateia Lobos do Parque promove 2ª Edição de Festival de Xadrez

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: